Tem dúvidas ou sugestões pra me dar? Envie por esse formulário ao lado que eu faço questão de te responder pessoalmente 😉

Comentários

comentários

Cure seu Feminino Integrando a Grande Deusa Mãe

Cure seu Feminino Integrando a Grande Deusa Mãe
28 de abril de 2016 Erika Mendel

Cure o seu feminino, transformando-se em uma mulher mais atraente, autoconfiante, sensual e poderosa, isso tudo sem perder ternura e delicadeza. Nesse artigo você vai conhecer a Grande Deusa Mãe e vai aprender como ela pode te ajudar a transformar a sua vida.

Para entendermos corretamente quem seria esta divindade, temos que voltar na história até os povos primitivos.

Esses povos identificavam a mulher com a Terra, pois, assim como a Terra gerava vida, a mulher também gerava vida. Como só as mulheres têm o poder de dar a vida a outros seres, nossos ancestrais começaram a acreditar que tudo tinha sido gerado por uma Deusa.

Eles viam no poder feminino a chave para o Mito da Criação e assim o Universo era identificado como uma Grande Deusa, criadora de tudo aquilo que existia e que existiu.

Esses povos não conheciam Deuses masculinos. Não existia o conhecimento do ato sexual como gerador da fecundação. Eles acreditavam que as mulheres engravidavam deitadas ao luar, através do poder da Grande Deusa manifestada como Lua. A mulher era tida como a única fonte geradora de vida.

Somente a partir da pecuária e da observação dos animais machos e fêmeas que nossos ancestrais puderam perceber a participação masculina no milagre da geração de vida.

Sendo assim, percebemos que o matriarcado antecedia o patriarcado.

Nos primórdios, os primeiros seres humanos eram nômades caçadores e andavam em tribos. Quando se fixaram, formaram as primeiras comunidades humanas que se organizavam numa estrutura matriarcal. Eram as mulheres que através de suas enxadas, instrumento primitivo de agricultura, garantiam o alimento da família.

Com o avanço da agricultura, o uso do solo passou a ser primordial e a Grande Deusa Mãe representando a Terra se tornou o centro de culto das tribos primitivas.

As mulheres eram consideradas responsáveis pela fartura das colheitas, pois eram elas que conheciam os mistérios da plantação e criação. Nesse período que correspondente à enxada como instrumento de produção, a mulher era poderosa.

O homem saia para caçar enquanto as mulheres ficavam em suas casas cuidando dos velhos e das crianças. A comida estava sempre garantida por sua pequena lavoura ao contrário da caça que era incerta.

Arqueólogos encontraram algumas esculturas muito antigas que representavam a Grande Deusa Mãe como uma figura abundante. A mais famosa escultura é a da Vênus de Willendorf e estima-se que ela tenha sido esculpida há 22.000 ou 24.000 anos.

Quando surgiu o arado, e a mulher teve que aposentar sua enxada, pois ela havia se tornado insignificante frente à eficiência do seu concorrente mais moderno. O arado, puxados pelos homens, então assume o papel principal de instrumento de produção. O arado significou um imenso avanço para a humanidade. Como ele, não só a comida estava garantida como havia inclusive um excedente de produção. Assim começa a história da riqueza do homem.

Despertar a Grande Deusa Mãe é tornar-se generosa, abundante, protetora da família, provedora de nutrição e de continente. Doadora de amor infinito!

Bem, espero que você tenha gostado e te convido a deixar o seu comentário abaixo. Isso é muito importante para que eu possa continuar te ajudando e ajudando à outras mulheres a curar o seu feminino sagrado!

Botão

Comentários

comentários